Estudantes da Rede Estadual Alcançam o Ouro na Olimpíada Brasileira de Satélites

Alunos da escola estadual Cepi Professora Izabel Christina de Sousa Ortiz, localizada em Formosa, na Olimpíada Brasileira de Satélites (OBSAT MCTI). Desta vez, os estudantes do 6° ao 9° ano do Ensino Fundamental demonstraram sua excelência, conquistando medalhas em ambas as modalidades da competição.

Na parte teórica, três alunos da escola brilharam ao conquistar medalhas de Ouro, enquanto uma aluna merecidamente obteve a medalha de Prata e outros três estudantes se destacaram com medalhas de Bronze. Na modalidade prática, oito alunos da escola qualificaram-se para a terceira fase da competição.

Arthur de Almeida Aragão, um dos medalhistas de Ouro na prova teórica, é do 6° ano e compartilhou sua experiência como algo verdadeiramente extraordinário. Ele enfatiza como as olimpíadas são um estímulo ao conhecimento dos alunos e expressa seu entusiasmo por ter participado e conquistado a medalha. Arthur está determinado a continuar participando de outras competições no futuro.

Essa notável participação dos alunos do Cepi Professora Izabel Christina de Sousa Ortiz, sob a orientação do professor de Matemática Arlley Kacyo, é motivo de orgulho, uma vez que estão representando não apenas sua escola, mas também o Estado de Goiás em uma competição nacional. O professor Arlley Kacyo destaca como é gratificante ver seus alunos sendo reconhecidos por suas conquistas.

As premiações e a terceira fase da modalidade prática estão programadas para ocorrer nos dias 21 e 22 de outubro na Universidade Federal de Goiás (UFG), em Goiânia.

A Olimpíada Brasileira de Satélites (OBSAT MCTI) é uma iniciativa do Ministério da Ciência, Tecnologia e Inovação, organizada pela Universidade Federal de São Carlos (UFSCar) em colaboração com a Agência Espacial Brasileira (AEB/MCTI), o Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (INPE/MCTI) e a Escola de Engenharia de São Carlos (EESC) da Universidade de São Paulo (USP).

Seu principal objetivo é promover a popularização e disseminação da ciência e tecnologia entre os estudantes brasileiros, incentivando o interesse pela área. Além disso, a competição visa a disseminação do conhecimento espacial, proporcionando capacitação e promovendo o ensino e aprendizado, juntamente com experiências técnico-científicas em projetos de satélites.

Foto: divulgação/casa civil

Edição: PORTAL FALA CANEDO

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *